Nossos Leitores Obrigado Por Ler

EM RESUMO NOTICIAS DA VENEZUELA O ASSASSINATO DE ANDRÉZ VELASQUEZ<<<>>> TIBISAY LUCENA NÃO ACEITA CUMPRIR O RECALL<<>> BANCO CENTRAL VENEZUELANO ESTA DESVIANDO TESOUROS DO PAÍS DEPUTADO DENUNCIA ALFONSO MARQUINA <<<<>> E NICOLAS MADURO VAI CONTROLAR A FRONTEIRA ENTRE COLOMBIA E VENEZUELA


LEOPOLDO LOPES : O PROFESSOR DE LINGUISTICA CRIMINAL DISSE QUE A JUÍZA BARREIRO MANIPULOU AS PROVAS CONTRA O INOCENTE ESSA PRISÃO É ARBITRÁRIA E VINGATIVA DE NICOLAS MADURO


A audiência de apelação da líder da oposição preso venezuelano Leopoldo López culminou na madrugada de sábado com nenhuma sentença foi emitida e será, pelo menos, 10 dias úteis para saber se ele não ratificar ou condenação de quase 14 anos na prisão de frente para a política, informou a AFP.

Em uma audiência maratona no Tribunal de Recurso, que durou mais de doze horas, Lopez voltou a aparecer no tribunal para exigir a anulação de sua sentença. Um tribunal de Havana condenou o político a quase 14 anos de prisão em setembro do ano passado, seguindo-o responsável de eventos violentos nos protestos contra o governo em fevereiro 2014 que deixaram três dezenas de mortos e feridos.

"A evidência que apresentou (...) trazer consequências como inexorável a nulidade absoluta do presente acórdão. Tais provas apresentadas demonstram a alteração das provas na fase de julgamento", disse o advogado de fora do tribunal Juan Carlos Gutierrez, que Lopez reiterou a inocência e insistiu que o Tribunal de Recurso deve dar total liberdade para o líder.

Em um discurso na audiência, Lopez confirmou sua inocência e assumiu a responsabilidade de denunciar o governo venezuelano como "corrupto, ineficiente, antidemocrática e repressiva", de acordo com trechos publicados através de sua conta no Twitter.

Antonieta Mendoza, mãe da oposição, disse a repórteres que a Corte de Apelações tem "dez dias úteis" para emitir o julgamento do caso.

A reunião começou por volta de meio-dia, no meio de uma grande mobilização de tropas em torno do tribunal. A audiência de apelação da líder do partido Popular Will tinha sido adiada em duas ocasiões entre junho e início deste mês.

Gritar "release Leopoldo" e entre os sinais de que ler "Dois anos de injustiça, solte Leopoldo" dezenas de ativistas de Popular Will e líderes da oposição se reuniram em torno do tribunal no centro da capital, para expressar seu apoio a Lopez, 45 anos, que durante 29 meses sendo realizada em Ramo Verde prisão militar.

Dois da equipe de consultores internacionais, advogados líder venezuelano, Alberto Ruiz-Gallardon, Espanhol ex-ministro da Justiça, eo advogado espanhol Javier Cremades, bem como outras seis pessoas estrangeiras não ganhou a permissão das autoridades para estar presente na audiência Lopez.

"A prisão de Leopoldo Lopez não é o resultado de um processo judicial, mas um procedimento político criado para perseguir aqueles que pensam diferente. Tanto é assim que a sua libertação dentro de um diálogo político é negociado", disse Ruiz-Gallardon imprensa condenando o julgamento do líder.

A coalizão da Unidade Democrática Roundtable (MUD), reiterou nesta sexta-feira que ele estaria disposto a iniciar um diálogo com o governo se as autoridades eleitorais definir a data para a coleta dos quase quatro milhões de assinaturas necessárias para desencadear uma eventual referendo revogatório contra o presidente Nicolas Maduro e presos políticos, incluindo Lopez é liberado.

A oposição anunciou recentemente a validação de alguns 407.000 assinaturas, o que daria origem a fase final do processo de referendo. No entanto, até agora as autoridades eleitorais não tenham confirmado essa informação.

A aliança disse em um comunicado que "grande parte" de activistas da oposição foram presos em diferentes cidades, entre maio e este mês foram divulgados, mas não deu números.
O líder da oposição e ex-candidato presidencial, Henrique Capriles, disse em sua conta no Twitter que, se o governo quer o diálogo deve provar com fatos e Lopez livre.

Alguns líderes do governo exigiram que Lopez é processada por protestos contra o Governo da Maduro que ocorreu no primeiro semestre de 2014 no qual 43 pessoas morreram.









Anuncio

Seguidores

CAMPANHA PRA VENEZUELA

CAMPANHA  PRA  VENEZUELA
PRECISA DE AJUDA HUMANITÁRIA

As principais matérias do blog