Nossos Leitores Obrigado Por Ler

EXCLUSIVE : La Oficina Regional para América del Sur del Alto Comisionado de las Naciones Unidas para los Derechos Humanos ( Acnudh) condenó la muerte del joven Kluiverth Roa


La Oficina Regional para América del Sur del Alto Comisionado de las Naciones Unidas para los Derechos Humanos ( Acnudh) condenó la muerte del joven Kluiverth Roa, quien recibió un disparo en el marco de una protesta en San Cristóbal, estado de Táchira.

El Representante para América del Sur del Acnudh, Amerigo Incalcaterra, expresó su solidaridad con la familia de la víctima y llamó a las autoridades a que se investiguen de forma efectiva e imparcial las circunstancias de la muerte. "Tomamos nota de la condena por parte de las autoridades a este hecho, así como de la detención de un oficial de la policía. Al mismo tiempo, urgimos a que se establezcan cuanto antes las responsabilidades por la muerte de Kluiverth", expresó.

Al respecto, Incalcaterra reiteró la  preocupación manifestada por el Acnudh sobre la Resolución 008610  del Ministerio para la Defensa de Venezuela el pasado 10 de febrero. Recordó que el uso de la fuerza letal debe ser el último recurso, solo aplicable según los principios de necesidad y proporcionalidad, y únicamente en situaciones donde es estrictamente inevitable para proteger la vida.

El Representante resaltó que la muerte del joven sucedió en un ambiente creciente de tensión e inseguridad en el país, y expresó su preocupación por la información que su Oficina ha recibido sobre otras muertes violentas de jóvenes registradas en las últimas semanas, presuntamente por agentes del orden.

También expresó su preocupación por la detención del alcalde de Caracas, Antonio Ledezma, y de otros políticos y manifestantes a las que el Acnudh y el Grupo de Trabajo de Naciones Unidas sobre la Detención Arbitraria han hecho referencia en el pasado, así como por la reiterada intimidación y amenazas contra defensores de derechos humanos.

Finalmente, Incalcaterra hizo votos por la pronta solución pacífica de los conflictos en el país. "El ejercicio responsable de la libertad de expresión y reunión pacífica, la defensa de los derechos humanos y un sistema judicial independiente son la base de una democracia fuerte y duradera. Instamos a la sociedad venezolana a reducir el actual clima de tensión y a buscar el diálogo constructivo, libre de violencia y respetuoso de los derechos humanos para responder a los desafíos que enfrenta", enfatizó.

ATÉ O PRESIDENTE DO URUGUAI ALERTA, VENEZUELA PODERÁ TER GOLPE MILITAR DA ESQUERDA E IRIA PARA UM INFERNO

O Presidente do Uruguai, José Mujica, disse quinta-feira que o "problema" que a Venezuela tenha é que "um dia" ver contra "do golpe militar à esquerda", após o qual "a defesa democrática" deixaria "para o inferno".


O Presidente "Seria um erro muito grave que sairá da Constituição", disse em uma entrevista publicada quinta-feira pelo  blog gazeta  central.

Mujica, que no domingo vai dar o comando para o já eleito Presidente do país, Tabare Vazquez, paradoxal ver "agora que é para fixar definitivamente o fogo na Colômbia, há um incêndio na Venezuela".


A tensão política no país governado por Nicolas Maduro aumentou nas últimas semanas no final de um ano da prisão do líder da oposição, Leopoldo López, enquanto Antonio Ledezma, prefeito de Caracas, foi preso quinta-feira passada, as ações que geraram fortes críticas da comunidade internacional.


Lopez é acusado de acusações de incitamento público, montagem ilegal (associação criminosa), danos à propriedade e fogo, enquanto que Ledezma é acusado de um plano de golpe contra o presidente venezuelano, Nicolas Maduro de incubação.


Para o governante uruguaio, existem dois tipos de oposição do país venezuelano.


"É Capriles e seus arredores, que querem uma saída de carácter institucional, que ir a eleições legislativas, que vai para o referendo de recordação e há outras pessoas que querem ir agora - o governo-. Ele quer dar um golpe de estado e de ir agora, "ele surtou.


Na sua opinião, Capriles é uma oposição "muito mais cuidadosa para não gerar violência".


"O problema que a Venezuela tenha é que nós podemos ver um dia de esquerda militar contra um golpe de estado. E então a defesa democrática vai para o inferno. 


Seria um erro muito grave que sairá da Constituição,", disse Mujica, que reconheceu que não tem dúvidas que este país tem"crise de escassez e insatisfação do povo".


"O problema que a Venezuela tenha é que nós podemos ver um dia de esquerda militar contra um golpe de estado. E então a defesa democrática vai para o inferno. 

Seria um erro muito grave que sairá da Constituição,", disse Mujica, que reconheceu que não tem dúvidas que este país tem"crise de escassez e insatisfação do povo".


Além disso, em declarações à imprensa, o Presidente disse quarta-feira que, enquanto na Venezuela há uma oposição que quer respeito institucional "pista", outro quer o governo a "abdicar" ou "lançá-lo agora", para que na sua opinião, "nenhum governo renunciou a isso reviravolta, fora a Constituição".


O veterano político disse que "em geral" como qualquer detenção e viu necessário para tratar "que as tensões políticas podem ser encontradas um canal institucional", porque qualquer outro é "uma experiência".


"Vamos tentar fazer o que pudermos para aconselhar e influenciar até onde ele pode ter uma saída de natureza constitucional". Porque é o que mais seria útil para todos nós", concluiu o Presidente .

NICOLAS MADURO PODERÁ RESPONDER POR CRIME CONTRA A HUMANIDADE PELA RESOLUCION 008610 NO TRIBUNAL DE HAIA

El Gobierno dice que fue un tiro de escopeta de perdigones. Testigos y una grabación de Protección Civil, dan cuenta que fue una bala. ¿Perdigones o Bala? ¿Bala o Perdigones? Lo cierto es que el niño Kluiverth Roa (14), estudiante del segundo año de bachillerato, fue asesinado por un funcionario policial de la PNB.



Kluiverth Roa, es la primera víctima de la llamada Resolución 008610, que permite el uso de armas letales para el control de las manifestaciones, que emanó del despacho del General en Jefe Vladimir Padrino López, Ministro de la Defensa del gobierno de Nicolás Maduro.


Otra excelente entrega de investigación peridiodistica del programa Conclusiones, que conduce el periodista Fernando del Rincón para la Cadena CNNE.

A GAZETA CENTRAL E IRBING INTERNACIONAL DENUNCIA A PNB

A  gazeta central e  irbing  internacional  recebe  uma  denuncia  que  precisa  ser divulgada  a  todos  trata-se  de  um   vídeo  que  estará  na nossa página  com exclusividade , para a imprensa internacional, 


Solicitando que você por favor ajude a venezuela onde os bandidos misnamed coletivos das espécies maduras assassinaram a sangue frio, um jovem venezuelano, esta é a realidade que existe na venezuela de hoje. 

Onde floresce a maldade, a crueldade do crime plantada a Revolução Bolivariana de Chávez e maduro, onde alguns venezuelanos são já não os seres humanos se tornam-se seres mais abomináveis e moustruosos o planeta..., 


A fonte que eu envio este vídeo relatório permanecerá no anonimato, por favor ajuda para a VENEZUELA, criminosos e CONTUINUARAM está matando para meus irmãos VENEZUELANOS. Este vídeo pode ser emitido por qualquer comunicação, nacional ou internacional, deve ser denunciada para os estudantes maduros e o narcoregimen genocida do povo venezuelano.

ALERTA AO BRASIL : UM VIDEO AUDIO QUE CIRCULA PELAS REDE SOCIAS RELATANDO PLANO DE UMA GUERRA CIVIL PELO PT E OUTRA A DECLARAÇÃO DE LUIZ INÁCIO DA SILVA E A CONFIRMAÇÃO DO PRESIDENTE DO PT NO RIO DE JANEIRO WASHINGTON SIQUEIRA PODE LEVAR O BRASIL A UMA RUÍNA DA DEMOCRACIA

Agora  é  oficial, a  GAZETA CENTRAL E IRBING INTERNACIONAL diante da  divulgação de um vídeo de audio  afirmando  que  haverá  uma guerra  civil no Brasil, associada  pelo PT, e diante  das  informações  do presidente  do PT  e  atuação  das milicias  criminosas  que  fizeram no  Rio de Janeiro  somando a  distruição da  estação de metro  da  Barra Funda  por  pessoas criminosas, e  ainda  diante  dos  acontecimentos, o videio  audío  é  bem  claro  que  os COMANDANTES  DO EXERCITO REGIONAIS  estão  atento o que  ocorre  no Brasil atualmente.

Essa notícia é urgente e saiu ontem dia 23/02/2015 exercito teria descoberto um possível golpe militar de esquerda e uma tentativa de guerra civil por parte de petistas para tentar evitar o impeachment de Dilma Rousseff. No conteúdo do áudio é possível ver que os comandantes estão em alerta dizendo que a maioria das tropas já estariam nas ruas para tentar intervir neste possível golpe, veja o áudio  na página  do  blog, www.gazetacentral.blogspot.com.br


Declarações  do Presidente  do  PT:

Horas depois de o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fazer um discurso no Rio de Janeiro pedindo que os petistas não fujam do embate com a oposição mesmo que para isso tenham que recorrer à briga, o presidente do PT fluminense, Washington Quaquá, seguiu a mesma linha, defendendo publicamente “a porrada”. Em seu perfil no Facebook, o petista que também é prefeito de Maricá convocou a militância a “pagar com a mesma moeda” dos “burguesinhos” qualquer ataque que sofrer. “Agrediu, devolvemos dando porrada!”, propôs.



Na tarde de terça-feira, uma manifestação feita em frente à sede da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), no Rio, em favor da Petrobras, terminou em tumulto, com socos e pontapés. De noite, um vídeo postado nas redes sociais mostrava o ex-ministro da Fazenda Guido Mantega sendo hostilizado no saguão do Hospital Albert Einstein, em São Paulo, enquanto internava sua mulher.
Nesta quarta-feira, Quaquá afirmou que a mensagem que publicou no Facebook foi a forma que encontrou para mostrar descontentamento com o grupo que havia hostilizado o ex-ministro. O petista lembrou que Mantega apenas acompanhava a esposa, a psicanalista Eliane Berger Mantega, que faz tratamento de um câncer na unidade. No entanto, de acordo com Quaquá, o comentário, que começou como desabafo, "terminou com um recado político".
- Acompanho o drama que Mantega enfrenta com o câncer de sua mulher. Há dois anos ele quis deixar o governo para tratar dela, mas permaneceu. Foi desumano o que fizeram com ele, que estava num hospital da pequena burguesia paulistana - disse Quaquá: - Quanto aos palavrões que escrevi (na internet), eles mostram minha revolta. Sou sociólogo e professor. Nasci na favela. Falo a linguagem do povo. Não estamos defendendo que o PT saia dando socos e porradas sem motivo, mas, se derem o primeiro soco, devemos responder com dois.
Na postagem, o petista acusa os adversários de falso moralismo e de "quererem achincalhar um partido (PT) e uma militância." O comentário do presidente regional do PT é acompanhado da foto de Mantega e do link de uma reportagem sobre o corrido no hospital.
Centrais sindicais e movimentos sociais, como o MST, promoverão, por sua vez, no dia 13 de março, atos em diferentes cidades do país em defesa da Petrobras. O maior deles deve acontecer em São Paulo, na Avenida Paulista, às 15h. Há a expectativa de que o ex-presidente Lula participe da manifestação, já que na terça-feira, durante evento em defesa da Petrobras, o petista disse que compareceria se fosse convidado.
Os atos que sindicalistas e MST programam ocorrerão dois dias antes de uma série de manifestações agendadas pelas redes sociais em favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff.
O presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Vagner Freitas, e o líder do MST, João Pedro Stédile, estarão no ato em São Paulo.
- Temos de voltar às ruas no dia 13 de março para dizer que a Petrobras é nossa e ninguém tasca - disse Stédile no ato em defesa da estatal realizado terça-feira, no Rio.
Kelly Masort, da direção nacional do MST, afirmou que o ato terá três eixos: defesa da Petrobras, dos direitos dos trabalhadores e pela reforma política. O movimento é a favor, por exemplo, do financiamento público de campanha.
- Nessa mobilização, acreditamos que a melhor forma de enfrentar a direita é na luta dos direitos e não numa defesa cega do governo Dilma - avaliou Kelly: - O nosso ato está locado nesses três eixos e como enfrentamos esse pensamento conservador. Não sabemos que força têm essas manifestações do dia 15 (pelo impeachment de Dilma). Ano passado, já tiveram passeatas bastante esvaziadas. Nossa impressão é de que o povo brasileiro sabe o quanto foi difícil a conquista da democracia. Acreditamos que isso (o movimento pela saída de Dilma) não tende a crescer - afirmou Kelly, sobre os protestos que ocorrerão dois dias depois do ato pela Petrobras.


O CASO DE PEDOFELIA: SERVE DE ALERTA AOS PAÍS WHATS-APP E O JUIZ DE PIAUI

Antes que  alguém  comece a  inventar  teorias  sem sentido, o  caso da WHATS-APP, não  tem nada  haver  com  censura, esse  foi isolado  em  PIAUI, e  como a  EMPRESA  não  possui representação  no Brasil, o Juiz  Luiz de Moura  Correia,  com  fulcro 

“O artigo 11 do Marco Civil diz que qualquer operação de coleta, armazenamento, guarda e tratamento de registros, de dados pessoais ou de comunicações por provedores de conexão e de aplicações de internet em que pelo menos um desses atos ocorra em território nacional, deverão ser obrigatoriamente respeitados a legislação brasileira e os direitos à privacidade, à proteção dos dados pessoais e ao sigilo das comunicações privadas e dos registros”, finalizou.

Pelo  simples acontecimento: 
De acordo com o delegado geral do Piauí, Riedel Batista, as investigações acontecem por meio da Delegacia de Proteção a Criança e ao Adolescente (DPCA), que precisou de informações contidas no WhatsApp e o aplicativo se negou a fornecer.

Fonte G1
O juiz Luiz de Moura Correia, da Central de Inquéritos da Comarca de Teresina, declarou nesta quinta-feira (26) que o aplicativo de troca de mensagens instantâneas WhatsApp teve uma postura arrogante ao desrespeitar decisões judiciais brasileiras. O juiz ordenou que o aplicativo saísse do ar por não colaborar com investigações da Polícia Civil do Piauí. 

Luiz de Moura Correia afirmou que a empresa alegou não possuir escritório no Brasil e, assim, descumpre as solicitações da Justiça. Segundo ele, o WhatsApp desrespeitou decisões judiciais a “bel-prazer”, tratando a Justiça brasileira como “terra de ninguém”.

“O pedido de informações para colaborar com investigações piauienses ocorreu em 2013, no entanto a empresa não se posicionou sobre a solicitação. Disse que não poderia atender ao pedido porque não possui sede no Brasil. 

E justificou que somente poderia fazer algo a respeito caso o pedido fosse realizado através do acordo de cooperação jurídica internacional que existe entre o Brasil e Estados Unidos. Isso foi feito através do Ministério da justiça e mesmo assim nada foi repassado à polícia”, contou o juiz..


Três delegados do Núcleo de Inquérito da Polícia Civil do Piauí acompanharam a entrevista. No encontro, o delegado Daniel Pires informou que a medida do juiz foi necessária por conta de repetidos descumprimentos de ordens judiciais.
Para os delegados, os criminosos mudaram o modo de agir e por isso eles precisam da colaboração do WhatsApp para realizar as investigações. "Todos os delegados brasileiros estão tendo dificuldades para fazer a apuração de crimes porque muitos acontecem através do aplicativo”, declarou o juiz.

Embora o pedido de suspensão do aplicativo, por não repassar informações à polícia, seja do dia 11 de fevereiro, o juiz afirmou que a demora da Justiça brasileira atrasou o processo. "Tudo no Brasil demora, a questão da Justiça no Brasil é demorada", declarou.

A Polícia Civil informou que o mandado judicial foi encaminhado também para as operadoras de telefonia móvel para que fosse cumprida a suspensão. De acordo com o Sindicato das Empresas de Telefonia do Brasil (SindiTeleBrasil), “a medida é desproporcional” por afetar o fornecimento do serviço a muitos usuários no país. O sindicato disse ainda que o pedido foi recebido com surpresa.



Marco Civil

O juiz Luiz de Moura Correia afirmou que a decisão de penalizar o WhatsApp foi baseada no Marco Civil da Internet, que diz que empresas estrangeiras estão subordinadas às leis brasileiras.

“O artigo 11 do Marco Civil diz que qualquer operação de coleta, armazenamento, guarda e tratamento de registros, de dados pessoais ou de comunicações por provedores de conexão e de aplicações de internet em que pelo menos um desses atos ocorra em território nacional, deverão ser obrigatoriamente respeitados a legislação brasileira e os direitos à privacidade, à proteção dos dados pessoais e ao sigilo das comunicações privadas e dos registros”, finalizou.

Entenda o caso

O Núcleo de Inteligência da Polícia Civil informou na quarta-feira (25) que um mandado judicial expedido em 11 de fevereiro pedia a suspensão temporária das atividades do WhatsApp. O pedido ocorreu após a empresa se negar a dar informações para uma investigação policial.

De acordo com o delegado geral do Piauí, Riedel Batista, as investigações acontecem por meio da Delegacia de Proteção a Criança e ao Adolescente (DPCA), que precisou de informações contidas no WhatsApp e o aplicativo se negou a fornecer.
A Secretaria de Segurança disse que os processos judiciais que originaram as decisões tiveram início em 2013, mas até o momento os responsáveis pelo WhatsApp não acataram as ordens.
Segundo a polícia, o mandado judicial foi encaminhado para as operadoras de telefonia móvel para que seja cumprida a suspensão.
Na opinião da advogada Gisele Arantes, especialista em direito digital que atuou no caso do aplicativo Secret, o Marco Civil “falhou” ao não prever “uma forma de se alcançar esse provedor de aplicações lá fora quando se precisar de alguma informação”. E resume a atual situação. “Se você é ofendido pelo WhatsApp, você vai ter que identificar as pessoas e responsabilizá-las; para conseguir essas informações, você precisa mandar uma ordem para o WhatsApp, mas ele está lá fora e para isso seria necessário uma carta rogatória, o que demoraria anos.” A jurista espera que o caso “chame a atenção das autoridades para esse buraco”.
O caso se assemelha a um de 2007. Na ocasião, um juiz chegou a suspender por um dia o YouTube no Brasil após tentativas fracassadas de impedir que um vídeo da apresentadora e modelo Daniella Cicarelli, que foi gravada durante ato sexual com o namorado em uma praia na Espanha. A decisão foi então derrubada pelo Tribunal de Justiça de São Paulo.

QUEREMOS O FIM DA RESOLUÇÃO 008610 QUE ASSASSINOU UM ADOLESCENTE DE 14 ANOS SENADORES BRASILEIROS IRÃO ATÉ A VENEZUELA

Finalmente  o  Senado Federal  acordou, é  quase que um milagre, mas  ainda  é  um  gesto simbólico de repúdio  em outras  palavras, pode ser  que  vão até a  VENEZUELA, mas chegou tarde e de uma  maneira  covarde, esperou  que  um menino de 14 anos  fosse fuzilado  pela  GNB.


Mas  é  um pequeno passo  dado  diante de  tantos  assassinados que  esse  governo  corrupto fez, essa  comissão  de senadores brasileiros  deveriam ir  até ao governo e  exigir a LIBERTAÇÃO DE LEOPOLDO LOPES, já.

O  Senado aprovou  na  nessa ultima  quarta  feira , uma criação de  comissão especial  para visitar a VENEZUELA, sendo que  o requerimento  foi apresentado  pelo SENADOR RICARDO FERRAÇO  do PMDB , depois da  prisão  do prefeito  de CARACAS  aqui  denunciado  no mesmo  dia, esses senadores  que  chamo  sairam da  cova  dos Leões,  tem cobrado  da Presidente  Dilma  uma posição mais  firme  contra a  violação de direitos  humanos  dos LIDERES DE OPOSIÇÃO  que  NICOLAS   ainda  mantém  presos.


O Plenário aprovou nesta quarta-feira (25) requerimento de autoria do senador Ricardo Ferraço (PMDB-ES) para a criação de uma comissão externa do Senado com o objetivo “de verificar in loco a situação na Venezuela” e estabelecer diálogos com membros do parlamento e governo venezuelanos e também com “interlocutores representativos das oposições e da sociedade civil e organismos internacionais”.
Na justificação do requerimento (RQS 77/2015), Ferraço argumenta que a Venezuela está passando por uma grave crise social, política e econômica. O senador explica que a Venezuela, como membro do Mercosul, tem obrigação de cumprir a chamada ‘cláusula democrática’, prevista no Protocolo de Ushuaia, assinado pelos países do Mercosul em 1998.
No documento, Ferraço também lembra a prisão do prefeito de Caracas, Antonio Ledezma e a recente morte de um adolescente de 14 anos durante manifestação contrária ao governo de Nicolás Maduro. O senador recorda ainda que o governo venezuelano mantém outros presos considerados como presos políticos e que a deputada da oposição Maria Corina Machado teve seu mandato cassado no ano passado.
“A reação democrática dos países de nosso continente diante do quadro de agravamento a que assistimos deve ser mais afirmativa. Nas vezes que o Brasil se manifestou por meio de nossa Chancelaria, o tom foi exageradamente tímido, talvez em função dos vínculos ideológicos e partidários que têm prejudicado a autonomia brasileira, em prejuízo à nossa atuação diplomática”, argumenta Ferraço.
Antes da aprovação simbólica do requerimento, a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) disse não entender como funcionaria uma comissão externa de senadores para investigar “as condições dos direitos humanos” em um país vizinho. Ela pediu que o requerimento fosse enviado para análise da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE) antes de ser votado no Plenário, mas não obteve sucesso.

Anuncio

Seguidores

CAMPANHA PRA VENEZUELA

CAMPANHA  PRA  VENEZUELA
PRECISA DE AJUDA HUMANITÁRIA

As principais matérias do blog