Nossos Leitores Obrigado Por Ler

OS 60 ANOS DE ANIVERSÁRIO DO SEMINÁRIO CONSERVADOR E O CULTO, TEVE ATÉ BOLO

O  ANFITRIÃO DA  FESTA 
Sábado 15  de  novembro  de 2014,  o  Seminário Presbiteriano Conservador , fez 60  anos de História, sempre preservando  a  fé. Localizado em Riacho Grande  em  São Bernardo  do Campo, Estado de São  Paulo.

REV  PAULO BROCCO ORANDO

MOMENTO DE  ORAÇÃO

AS  DEMAIS  IRMAS EM  CRISTO 

ANGELICA  GARCIA  GOMES  DE  NOVA ESPERANÇA  PARANA 


OS  SEMINARISTAS CANTANDO 




ORAÇÃO PELOS  SEUS  60  ANOS DE  VIDA

O MOMENTO DA  FESTA


 REV JOÃO A. DOS SANTOS 



O  culto  de  Ações de  Graça pelo  seus  60  anos de Atividades do Seminário Presbiteriano Conservador contou  com a presença do seu corpo  docente , Re. André Costa  da  Silva, que  ja  foi pastor da  4  Igreja Presbiteriana Conservadora de  Guarulhos, Presbitero Antenor C. de  Souza,  Rev.  Donizetti  Rodrigues Ladeia, Rev. Flávio A.A. Costa, Re. José Paulo  brocco,  Rev. Luiz  carlos  dos Santos,m rev.  Paulo de Tarso  B. de souza e  rev Welerson A Duarte.

O  Culto  veio  ao Senhor  Invocamos: Salmo 145. 10-21, 10 Todas as tuas obras te louvarão, ó Senhor, e os teus santos te bendirão. 11 Falarão da glória do teu reino, e relatarão o teu poder, 12 para que façam saber aos filhos dos homens os teus feitos poderosos e a glória do esplendor do teu reino. 13 O teu reino é um reino eterno; o teu domínio dura por todas as gerações. 14 O Senhor sustém a todos os que estão a cair, e levanta a todos os que estão abatidos. 15 Os olhos de todos esperam em ti, e tu lhes dás o seu mantimento a seu tempo; 16 abres a mão, e satisfazes o desejo de todos os viventes. 17 Justo é o Senhor em todos os seus caminhos, e benigno em todas as suas obras. 18 Perto está o Senhor de todos os que o invocam, de todos os que o invocam em verdade. 19 Ele cumpre o desejo dos que o temem; ouve o seu clamor, e os salva. 20 O Senhor preserva todos os que o amam, mas a todos os ímpios ele os destrói. 21 Publique a minha boca o louvor do Senhor; e bendiga toda a carne o seu santo nome para todo o sempre.

Logo depois  foi  entoado  o Hino A  Igreja  em Adoração de Sarah P. kelly


Hinário Novo Cântico - Igreja Presbiteriana

Sem foto do Hinário Novo Cântico -  Igreja PresbiterianaCompositor: Igreja Presbiteriana do Brasil de Alta Floresta D'oeste-ro
Tom: A
  
A   F#m    C#m       D        A
Eterno Pai teu povo congregado,
      D       E                A
Humilde entoa o teu louvor aqui!
  F#m     C#m           D       A
No dia para o culto reservado,
  D         E                A
Com esperança olhamos para ti.
 E               D                   A
Teu santo livro ó grande Deus ,tomamos
    E       Bm            E     A
Com fé singela e reverente amor,
 F#m    C#m            D         A
E, como atentos filhos procuramos
    D              E       A
Ciência na palavra do Senhor.


A       F#m    C#m          D        A
Jesus! Aos teus benditos pés sentados
    D         E             A
Queremos teu conselho receber,
 F#m    C#m          D         A
E sendo por ti mesmo doutrinados,
     D          E                A
De mais em mais na santa fé crescer.
      E         D             A
Do mundo e seus encargos retirados
 E      Bm              E         A
Queremos descansar em ti , Senhor,
  F#m   C#m              D         A
Mirando os ricos bens entesourados
 D                E         A
Na plenitude do teu  vasto amor.


A     F#m       C#m      D        A
Ensina aos teus, Espírito divino,
      D        E               A
Dissipa as trevas desses corações
 F#m     C#m              D      A
E com a luz do teu celeste ensino,
   D       E                A
Vem aclarar as santas instruções.
   E             D              A
Aviva em nós as forças da memória,
  E           Bm                E
Pois sempre mais queremos conhecer
F#m       C#m              D          A
O Rei dos céus, o Cristo cuja a glória
   D                 E       A     D A
Enleva os santos anjos de prazer. Amém.


Ao senhor  Pedimos  Perdão  Salmo 145.8 a  9



CONHEÇA A HISTÓRIA EM RESUMO DO SEMINÁRIO PRESBITERIANO CONSERVADOR

Fundação: Nosso Seminário foi oficialmente organizado por ocasião da XIVª Reunião Ordinária do Presbitério Conservador, reunido em Antonina, PR, de 27 de Junho a 1º de Julho de 1953. Nessa reunião foram aprovados os planos elaborados pela Comissão Executiva em cooperação com a Comissão de Educação do Presbitério, para esse objetivo, e foi autorizado também o início da construção do edifício do Seminário. Os recursos registrados para o início dessa construção, nesse Presbitério, foram: a doação de um terreno de cerca de 3.500 m2, na "estação de Rio Grande", atual Riacho Grande; a autorização da venda de um terreno da Igreja situado em Indianópolis, na cidade de São Paulo, para esse fim; a entrega do saldo do fundo do Instituto Eduardo Carlos Pereira à Tesouraria Geral, que assim ficou extinto; e a oferta de valiosas quantias em dinheiro, feita por diversos irmãos. Ficou marcado também, para o dia 11 de julho seguinte, o lançamento da pedra fundamental do edifício, às 15h e 30 min, o que foi feito sob a direção do Rev. Carlos Pacheco, então presidente do Presbitério.


1ª Diretoria: A primeira diretoria, eleita nessa reunião, ficou assim constituída: presidente: Rev. Armando Pinto de Oliveira; secretário: Presb. Messias Domingos Corrêa; tesoureiro: Presb. Dante Scorza; diretoria interna: Miss. Margaret Harden; vogais: mais dois missionários por indicação da Junta Independente de Missões Presbiterianas Estrangeiras. Esses indicados foram o Rev. Irwin Steele e sua esposa, D. Sarah Steele, que a partir de 25/02/54 passaram a integrar a diretoria, sendo o primeiro nomeado diretor espiritual do Seminário. Esses irmãos tinham recentemente chegado do Chile, onde atuavam como missionários da citada Junta, e por ela foram enviados para colaborar na organização de nosso Seminário, a pedido de nossa Igreja.

1ª Congregação de Professores: Também foi nomeada nessa reunião do Presbitério a 1ª Congregação de Professores, que ficou assim constituída: para as matérias do curso teológico, Dr. Adrião Bernardes, Rev. Francisco Augusto Pereira Júnior, Rev. Emmanuel Woods e Rev. Raphael Pages Camacho; para matérias de cultura geral e do curso de obreiros leigos, Miss. Margaret Harden e Dr. Odon Ramos Maranhão, que também foi nomeado orientador educacional. Além desses, solicitou-se à Junta que indicasse mais três missionários para compor a Congregação, para qualquer dos cursos. (Paralelo ao curso teológico, funcionou um Instituto Bíblico para moças, orientado pelos missionários, por um breve período de tempo, com duas alunas). Foram indicados pela Junta, algum tempo depois, os Revs. William R. Le Roy e Earl Pinckney. Embora nomeada em junho de 1953, a instalação oficial da Congregação só se deu em 06 de março de 1954, em sessão realizada na então Igreja de São Paulo (atual 1ª Igreja), sendo aclamado presidente da sessão o Rev. Francisco Augusto Pereira Júnior. Nessa mesma reunião o Rev. Dr. Adrião Bernardes foi eleito deão do Seminário (cargo equivalente ao de presidente da Congregação, hoje).

Instalação e Dedicação do Edifício:O edifício do Seminário foi projetado para constar de duas alas e um corpo central. Nas alas funcionariam os cursos pré-teológico e teológico e, na parte central, a capela, a biblioteca e a administração geral. É um projeto grandioso e arrojado. Dele, só temos concluída a ala esquerda, e mesmo esta foi concluída em duas etapas. No dia 13 de março de 1954 aconteceu a cerimônia de instalação do Seminário em seu recinto próprio, já concluída precariamente a 1ª parte desta edificação, com um culto de gratidão a Deus que contou com a presença de diversos ministros de nossa Igreja e de igrejas irmãs, assim como de um grande número de irmãos. O culto oficial de dedicação do edifício, porém, ocorreu no dia 28 de junho daquele mesmo ano (1954), com a presença de todo o Presbitério, ali reunido ordinariamente, sendo pregador oficial o Rev. Francisco A. Pereira Júnior. Nessa ocasião foi dedicado o piano que até hoje serve ao Seminário, doado por um então diácono da Igreja de São Paulo.

Dia do Seminário: Por solicitação da Diretoria do Seminário, o Presbitério, em sua reunião de junho de 1955, instituiu o dia 15 de Novembro de cada ano como o "Dia do Seminário", colocando-o no Calendário Eclesiástico.

Primeiros Alunos: Embora o Seminário só tenha sido fundado oficialmente em 1953, a história do seu corpo discente remonta aos idos de 1947 quando o Presbitério, reunido em Poços de Caldas, decidiu congregar, no ano seguinte, os jovens que estavam se preparando para o ministério a fim de que ficassem sob as vistas da Comissão de Educação, morando juntos e freqüentando o mesmo colégio. Isto pôde ser feito com recursos destinados pelo Presbitério e pela cessão, por parte da Igreja de São Paulo, de sua casa pastoral para a residência dos alunos. Assim foi criado, em 1948, o que chamaram de "Curso Subsidiário e Internato". Os alunos freqüentavam o Colégio Batista Brasileiro e recebiam aulas suplementares do curso propedêutico. Na edição de março e abril de 1948 de "O Presbiteriano Conservador" quatro deles são mencionados, com seus respectivos dados biográficos: Jeiel Couto, Lívio Rodrigues, Osvaldo Pereira Costa e Joel Ferreira. Temos informação de que, posteriormente, juntou-se ao grupo o aspirante Josué Rodrigues. Registra-se que a Comissão de Educação, responsável pelo acompanhamento dos candidatos, era formada pelos Revs. Armando Pinto de Oliveira, Francisco A. Pereira Júnior e Raphael Pages Camacho.
Em março de 1952 os candidatos Jeiel Couto e Joel Ferreira foram enviados para continuarem seus estudos no Instituto Bíblico da Pedra, em Pedra de Guaratiba, Rio de Janeiro. No ano seguinte, outros dois, Wladimir Machado e Rui Cardoso Brochado seguiram o mesmo caminho. Quando da instalação de nosso Seminário, esses alunos "da Pedra", mais outro, Getúlio de Andrade, eram nossos seminaristas.
Em julho de 1954, devido à desistência de uns e à cassação da candidatura de outros, ficou apenas o Sem. Jeiel Couto como candidato da Igreja ao ministério. Em 1955, contudo, teve início uma 2ª fase, com a criação do curso propedêutico e a admissão de seis novos candidatos: Antônio Gonçalves de Oliveira, Francisco Dias Alves, Izael Lopes, Leônidas Dias, Azor Pereira e João Alves dos Santos. A partir daí foi sempre crescente o número de candidatos ao ministério, com o Seminário oferecendo os cursos propedêutico, pré-teológico e teológico.

Diretores Internos: Exerceram o cargo de "diretor interno", que a partir de 1968 passou a ser denominado de "deão" e desde 1991 é chamado de "diretor", as seguintes pessoas: Miss. Margaret Harden, da fundação em julho de 53 a julho de 54; Rev. Irwin Steele, de julho de 54 a janeiro de 57; Rev. Earl Pinckney, de janeiro de 57 a janeiro de 60; Rev. William Le Roy, de janeiro de 60 a julho de 62; Rev. Armando Pinto de Oliveira, de julho de 62 a fevereiro de 65; Rev. Carlos Pacheco, de fevereiro de 65 a janeiro de 71; Rev. Izael Lopes, de janeiro de 71 a janeiro de 74; Rev. Antônio Gonçalves de Oliveira, de janeiro de 74 a janeiro de 80; Rev. João Alves dos Santos, de janeiro de 80 até janeiro de 96, Rev. Luiz Antônio Gomes da Silva, de janeiro de 96 a dezembro de 2006 e Rev. Welerson Alves Duarte de Janeiro de 2007 até o presente.

Diretoria do Seminário:Além de membros vogais que se revezaram periodicamente, a Diretoria teve no exercício de seus cargos os seguintes presidentes: Rev. Armando Pinto de Oliveira, da fundação a janeiro de 71; Presb. David Domingos Corrêa, de janeiro de 71 a janeiro de 74; Rev. Lívio Rodrigues, de janeiro de 74 a janeiro de 80; Jair Soares Mesquita, de janeiro de 80 a agosto de 84; Presb. Ner Augusto Pereira, de agosto de 84 a janeiro de 86; Diác. Isanoel Mesquita Camacho, de janeiro de 86 a janeiro de 87; Presb. Ari Cândido de Matos, de janeiro de 87 a julho de 88; Presb. Jurandir Alves dos Santos, de julho de 88 a Julho de 2003; Rev David Carbone da Costa, de julho de 2003 a julho de 2006; Rev Wilson Francisco dos Santos, de julho de 2006 a julho de 2013; Prebs. Francisco Peres de julho de 2013 até o presente.

Tesoureiros: Presb. Dante Scorza da fundação a fevereiro de 56; Presb. Messias Domingos Corrêa, de fevereiro de 56 a fevereiro de 61; Presb. Lázaro Ferraz de Campos, de fevereiro de 61 a agosto de 64; Presb. Paulo de Almeida, de fevereiro de 65 a janeiro de 80; Rev. Casimiro Coelho Bonfim, de janeiro de 80 a janeiro de 86; Rev. Sebastião Machado Arruda, de janeiro de 86 a julho de 97, Rev. Luiz Antônio Gomes da Silva, de julho de 97 a Janeiro de 2007, Rev Welerson Alves Duarte de Janeiro de 2007 a Dezembro de 2009 e Rev Flávio Antonio Alves da Costa de Janeiro de 2010 até o presente. (Obs. O período de agosto de 64 a fevereiro de 65 esteve sem tesoureiro oficialmente nomeado, devido ao falecimento do Presb. Lázaro. De 1980 a 1986 o cargo e o título foram o de "tesoureiro-administrador"; de julho de 97 até dezembro de 2009 o cargo foi acumulado pelo diretor; de janeiro de 2010 até o presente o cargo e o título voltaram a ser o de “tesoureiro-administrador”).

Secretários:Presb. Messias Domingos Corrêa, da fundação até fevereiro de 56; Presb. Dante Scorza, de fevereiro de 56 a janeiro de 80; Presb. Rodolfo Carnevale, de janeiro de 80 a janeiro de 86; Presb. Ari Cândido de Matos, de janeiro de 86 a janeiro de 87; Diácono Isanoel Mesquita Camacho, de janeiro de 87 a janeiro de 1990; Rev. João Alves dos Santos, de janeiro de 91 a julho de 94, como interino e desta data a Julho de 2003 como nomeado pelo Sínodo; Rev Sebastião Machado Arruda de Julho de 2003 a Julho de 2006; Rev Edival José Vieira de Julho de 2006 a Dezembro de 2009 e Rev Welerson Alves Duarte de janeiro de 2010 até o presente.

Congregação de Professores: De igual forma, a Congregação de Professores tem passado por diversos revezamentos de membros, devido às mudanças que se efetuam no corpo docente. É preciso ressalvar que não são todos os professores que compõem a Congregação, mas os oficialmente nomeados pelo Concílio Superior (atualmente Sínodo). Todos os professores são, geralmente, convidados a participar das reuniões e nelas colaborar, em caráter informativo e consultivo. Até dezembro de 1977 os cargos de presidente e secretário foram exercidos com maior permanência dos ocupantes. Após essa data, adotou-se o expediente de revezamentos periódicos, quase que anuais, já que a escolha para esses cargos é feita internamente, pelos membros da Congregação. Até aquela data, exerceram-nos os seguintes irmãos: Presidentes: Dr. Adrião Bernardes, da fundação até junho de 54; Rev. Armando Pinto de Oliveira, de junho de 54 a março de 66; Rev. Horace de Paula, de junho de 66 até dezembro de 77. Secretários: Dr. Odon Ramos Maranhão, na sessão de instalação; Revs. Francisco A. Pereira Júnior, Armando Pinto de Oliveira e Earl Pinckney, revezando-se da data da instalação até setembro de 58; Rev. Joel C. Rocha, de setembro de 58 a abril de 61; Rev. Raphael P. Camacho, de abril de 61 a dezembro de 66; Rev. Izael Lopes, de dezembro de 66 a março de 71 e Rev. Daniel Manoel, de março de 71 a dezembro de 77. Após essa data, o sistema de revezamento dificulta o histórico do exercício desses cargos, pelas constantes alternâncias.

Professores:Por insuficiência de dados, talvez não seja possível declinar o nome de todos os professores que já passaram pelo nosso Seminário, ao longo desses anos, quer por breve ou longo período, a maior parte deles colaborando sem qualquer remuneração financeira. Tentaremos, todavia, para registro histórico, citar o maior número possível, em ordem mais ou menos cronológica a contar do início da colaboração, embora não podendo citar a disciplina ou disciplinas que lecionaram ou lecionam, por questão de espaço. Obedeceremos à seguinte classificação: Pastores e Missionários: Revs. Francisco Augusto Pereira Júnior, Raphael Pages Camacho, Armando Pinto de Oliveira, Adrião Bernardes, Emmanuel Woods, Michael Bitchmaya, Irwin Steele, William Roger Le Roy, Joel Correa Rocha, Earl Pinckney, Jaques D’Ávila, Ary Boncristiani Ferreira, Isaías Rodrigues Côrtes, Sherlock Nogueira, Leonard Meznar, Schmall (prenome desconhecido), John Roderick Davies, Marlan Michel, Robert Rapp, Carlos Pacheco, Horace de Paula, Izael Lopes, Leônidas Dias, Irineu Monteiro de Pinho, Daniel Manoel, Abdner Sereno de Noronha, Deuel Carminatti, Olivar Alves dos Reis, Izaías Mesquita Júnior, Alceu Moreira Pinto, Antônio Gonçalves de Oliveira, Israel Cardoso, João Alves dos Santos, José Carlos Barbosa, Djalma Franco, Pedro Moreno, Casimiro Coelho Bonfim, José Paulo Brocco, Paulo Corrêa Arantes, Rubens Thomas de Aquino, Eroltilde Cerqueira, Luis Antônio Gomes da Silva, Sebastião Machado Arruda, Moisés Pereira, Hermisten Maia Pereira Costa, Ricardo Ferreira Nunes, Antônio Luiz de Jesus Cerqueira, Edival José Vieira, Welerson Alves Duarte, Antônio Rodrigues de Lima; Sérgio Muniz Gomes, Valter Lino dos Santos, Flávio Antônio Alves da Costa, Edson Serafim Gonçalves, Clodoaldo de Souza Caldas, Jubal Gonçaves, Paulo de Tarso Bezerra de Souza, Luiz Carlos dos Santos e André Costa.

Professores Leigos e Missionárias:Odon Ramos Maranhão, Margaret Harden, Sarah Steele, Newton Del Corso, Nelson de Souza, Almir Bueno, Antônio José de Magalhães Penido, Lycia Hofling de Lima, Maria Antonieta Camargo de Oliveira (D. Quita), Jane Le Roy, Marion Pinckney, Alphonsus Zimmermann, Grace Cerqueira de Oliveira, Myltes (sobrenome desconhecido), Lee Michel, José Alaor Garcia, Pantaleão de Lima Filho, Augusto Paulino Filho, Darci Ghirello Corrêa, Jonas Evangelista da Silva, Alfredo de Barros, Maria Luiza Tavares Machado, Maria Salete da Silva Novah, Maria Antonieta Ribeiro, Hildebrando Carlos da Silva, Maria Regina Zaiden, Luis Rosa e Presb. Antenor Celestino de Souza. Seria obrigatório dizer também que nas primeiras décadas, todos ou quase todos os alunos dos cursos mais avançados (pré-teológico e teológico) cooperaram ensinando matérias dos cursos menos avançados (propedêutico e pré-teológico), enquanto existiram estes cursos, sob a supervisão de professores titulares. Além de alguns dos acima mencionados também lecionaram no curso do Instituto Missionário o Rev. Odmir Dias de Souza e a profª Marina Franco Bonfim.

Outros Colaboradores:Embora não sendo diretamente ligados ao Seminário, seria injusto deixar de mencionar os nomes de algumas pessoas que prestaram relevantes serviços ao Seminário e aos alunos, como os dos seguintes irmãos ou amigos: Rev. Manly Evans Harden, entusiasta e grande colaborador nos primeiros anos; Drs. Joel Jorge de Melo e Gerson Kerr, engenheiros responsáveis pelo projeto e construção do edifício; Drs. Tertuliano Cerqueira, Adib Nicolau Aun, médicos que serviram aos alunos nos primeiros anos; Dr. José Augusto Pinheiro, que igualmente durante muitos anos foi o "dentista do Seminário"; Dra. Renata, da Missão Evangélica, que posteriormente prestou serviços médicos relevantes e, mais recentemente, a Dra. Ana Luíza Hofling de Lima e o Dr Clóvis de Moraes Lui, que prestaram assistência oftalmológica aos alunos. Todos esses serviços foram prestados sem remuneração, a título de colaboração com a obra do Seminário. Sabemos que muitos outros colaboradores anônimos existiram e ainda existem, os quais têm ajudado a levar essa obra adiante.

Biblioteca: O acervo de nossa biblioteca foi formado, inicialmente, por livros que pertenceram ao Rev. Bento Ferraz e que foram, doados por sua família. Posteriormente o Rev. Jaques D’Ávila (metodista) doou cerca de 400 volumes. Em anos mais recentes, as famílias dos Revs. Francisco A. Pereira Júnior, Armando Pinto de Oliveira e Antônio José da Silva também fizeram doações de livros que pertenceram a esses saudosos ministros. Ao longo desses anos o Grêmio Estudantil também fez diversas campanhas por doações e, a partir de 1986, a própria diretoria tem se empenhado na aquisição de obras básicas em teologia, destinando parte da verba arrecadada em anuidades para tal. Em 1994 e 1995 a Federação de Mocidade das Congregações Reformadas da Holanda doou um total de 773 volumes selecionados. Nosso acervo atual é superior a 8.000 volumes. Nossa biblioteca tem o nome de "Biblioteca Bento Ferraz" e em 15/11/1957, em homenagem a esse grande líder do passado, foi inaugurado um quadro a óleo com o seu retrato, na capela do Seminário, recinto que abrigou até recentemente a biblioteca e ainda abriga grande parte dela. O quadro foi descerrado pela filha do patrono homenageado, Dra. Délia Ferraz Fávero. Essa data ficou marcada como a da inauguração da biblioteca, pois além de receber um nome, ganhou também nela as estantes que a comportam.

Grêmio Estudantil:
Organizado em 26/04/1956 para que os alunos "pudessem melhor ordenar suas atividades espirituais, sociais e esportivas", como consta do histórico de organização, essa entidade interna representativa do corpo discente adotou o nome de "Grêmio Estudantil Rev. Alfredo Alípio do Vale", em homenagem à memória daquele valoroso ministro dos primeiros anos da Igreja e um dos fundadores da mesma. Sua 1ª diretoria ficou assim constituída: Presidente: Jeiel Couto; Vice-presidente: Horace de Paula; 1º Secretário: Heitor Nalini; 2º Secretário: Izael Lopes; Tesoureiro: Francisco Dias Alves e Orador: Antônio Gonçalves de Oliveira. O grêmio publicou durante algum tempo um jornal que levou o nome de "O Ebenezer". Tem sido de grande utilidade, durante esses anos, a existência desse órgão estudantil.

Ampliações e Novas Construções:Em agosto de 1957 ficou concluída a 1ª ala do edifício, a qual foi oficialmente inaugurada no dia 15 de novembro daquele ano, juntamente com as instalações da biblioteca. Em 21 de abril de 1965, com programa especial, foi inaugurada a "Casa do Diretor", como ficou sendo chamada a casa construída para a residência do diretor interno, nomeado pelo Sínodo. Essa providência tornou-se necessária com a saída dos missionários americanos, primeiro da direção interna, em julho de 62, e depois, também do ensino, em dezembro de 63 (Apenas um deles, o Rev. Robert Rapp, continuou lecionando até o final de 63). Foi necessário que um obreiro, de tempo integral, viesse residir junto ao Seminário e esse 1º diretor residente foi o Rev. Carlos Pacheco. Para a construção da casa, além de valiosas ofertas individuais, o Seminário contou com a doação, por parte do então Presbitério Conservador, do produto da venda do templo de Amparo (SP). Nessa obra, prestou-nos grande colaboração, como construtor, o Presb. Antônio Arantes. Em 1980 foi feita uma reforma considerável no prédio, com troca de todas as portas e janelas e ampliação da cozinha e dependências da zeladoria. Em 1983 foram feitas algumas adaptações para se providenciar um dormitório feminino para o Instituto Missionário, e em 1989 foi construída uma nova casa, através de um esforço especial da Igreja e, em particular, de alguns irmãos dedicados, para servir de residência ao professor de tempo integral. A partir dessa data, outras mudanças e adaptações têm sido feitas no prédio para a sua maior funcionalidade.

Instituto Missionário: Criado em 1981 para funcionar em 1982, o Instituto Missionário Presbiteriano Conservador só pôde iniciar suas atividades em março de 1983, por falta de alunos. O curso, que tinha a duração de dois anos, no sistema de internato, funcionou até 1988. Visava preparar obreiros para o trabalho leigo, especialmente no campo missionário, e formou 11 alunas. Foi desativado por falta de candidatos e por dificuldades em sua manutenção.

Supressão de Cursos:A partir do início de 1972 começou a ser suprimido, gradualmente, o curso propedêutico ou ginasial, e a partir de 1977 começou também a ser suprimido o curso pré-teológico, estendendo-se o curso teológico para quatro anos.
Números concernentes a Alunos: De março de 1954 a maio de 2013 freqüentaram os bancos do Seminário 250 alunos matriculados. Desses, 117 chegaram à formatura, muitos desistiram e alguns tiveram sua candidatura cassada. Alguns foram alunos apenas por alguns meses e até por algumas semanas. Ainda fazem parte desse número os 08 que compoe o corpo discente de 2013. É preciso ressaltar que a maioria das desistências se deu quando havia ainda os cursos propedêutico e pré-teológico. Com a extinção gradual desses cursos, a partir de 1975 não houve mais séries do curso propedêutico e a partir de 1979, não houve mais do curso pré-teológico. O curso missionário, durante os cinco anos e meio em que funcionou, recebeu 18 alunos (16 moças e 2 rapazes), dos quais 11 chegaram à formatura. Convém observar ainda que, no número total dos alunos do Seminário acima mencionado, aqueles que saíram e entraram novamente só são contados uma vez, valendo a 1ª matrícula. Do número dos que chegaram a se bacharelar 97 eram candidatos de nossa Igreja e os demais de diferentes igrejas irmãs.

Formaturas:São os seguintes os alunos formados, em ordem cronológica: Seminário: 1956: Jeiel Couto, o primeiro formado por nossa Igreja; 1961: Antônio Fernandes, Horace de Paula e Jair Pedroso da Rocha; 1962: Antônio Gonçalves de Oliveira, Francisco Dias Alves, Izael Lopes e Leônidas Dias; 1963: Izaías Mesquita Júnior e João Alves dos Santos; 1964: Elias Pereira Dantas, Lívio Rodrigues e Moysés Moreira Lopes; 1965: Casimiro Coelho Bonfim, Daniel Manoel e Waldemar Couto; 1966: Isaías Celestino dos Santos e João Lima de Souza; 1968: Deuel Carminatti e Orlando Venâncio; 1969: Nelson Francisco de Paula e Olivar Alves dos Reis; 1971: Israel Cardoso e Ramírio Estevam Filho; 1972: Djalma Franco e Jonas Elias de Oliveira; 1973: José Carlos Barbosa; 1974: Antônio Luciano da Silva e Sebastião Rosa da Silva; 1975: Edival José Vieira, João Fermino, João Filgueira da Silva, Milton Pereira e Sebastião Salvador da Silva; 1976: Gildásio Mota Fagundes; 1977: João de Araújo Cardoso e José Paulo Brocco; 1978: Ademir Borba Cordeiro, Francisco Galdino Dantas, Natalino Luiz de Souza e Paulo Corrêa Arantes; 1979: Iziquiel Mathias da Rocha, Moisés Rodrigues da Silva e Simeão Eugênio Vieira Filho; 1980: Ademir Alves Barbosa e Jaime José dos Santos; 1981: Mariano Matias de Souza; 1982: Eroltilde Cerqueira, Luis Antônio Gomes da Silva e Sebastião Machado Arruda; 1983: Jair Macedo, Odmir Dias de Souza e Sebastião Batista da Cunha; 1984: Ozias Venâncio e Silas Daniel de Paula; 1985: Gilberto Campos Coelho, Hwal Soo Kim e José Rodrigues dos Santos; 1986: Moisés Pereira e Stênio Marcius Botelho Nogueira; 1987: Antônio Luiz de Jesus Cerqueira, Flávio Antônio Alves da Costa; Orlando Marçal Júnior e Valter Lino dos Santos; 1988: Ricardo Ferreira Nunes, Salomão Alves de Moura, Sandoval Santos Magalhães, Welerson Alves Duarte e Wellington Ferreira Barros; 1989: Francisco Cleto Nogueira Pinheiro, Giácomo Krenn e Rosivaldo Cabral dos Santos; 1992: Antônio Rodrigues de Lima, Dráusio Piratininga Gonçalves, Jailton Bernardo da Silva, Plínio Fernandes e Sérgio Muniz Gomes; 1994: Édson Serafim Gonçalves; 1995: Clodoaldo de Souza Caldas e Luiz Renato da Silva Arbués; 1996: César Rocha Lima, Cláudio Montmor de Oliveira, Denilson Claro de Souza, Fred Mark Ferreira Fagundes; Reginaldo Vieira Naves e Wilson Francisco da Silva; 1997: Jader Silveira do Carmo; 1999: João Carlos Voigt Ferreita; 2000: Antonio Carlos de Souza Lima, David Carbone da Costa, Júlio Cesar Rodrigues de Queiróz, Marcelo Ferreira da Silva e Ricardo Vilela Alves; 2001: Francisco dos Santos, Jubal Gonçalves, e Paulo Sérgio de Oliveira; 2002: Marcos Vinicio Ribeiro, Luiz Carlos dos Santos e Claudinei Rodrigues de Oliveira; 2003: Márcio William Chaveiro, Heli Donozeti Teodoro Nogueira e Ricardo de Souza Alves; 2004: Marcos Roberto da Silva, Ronaldo Pereira Mendes, Givaldo de Jesus Santana e Fernando Henrique Voigt Ferreira; 2005: Paulo de Tarso Bezerra de Souza, Fábio Ito, Fernando Sancho Tolose de Andrade e Diogo Inawashiro; 2006: Eliel dos Reis Couto, José Alves Serra e Roney Aparecido Pascoto; 2007: Pedro Ria e Claudio Alexandre Cavalhieri; 2010: André Costa e Josiel Carlos de Mio; 2011: Fernando Modesto da Silva e Euripedes José da Silva; 2012: Júlio Gomes da Silva Júnior e Vítor Paulo de Oliveira Neto. Instituto Missionário: 1984: Angélica Cândido de Lima, Hilda Sayuri Sumizono, Marilda Aurora Prestes e Sandra Maria Pascoto; 1985: Cilene Maria Fernandes, Edna Suely de Oliveira, Elaíne Santos Magalhães e Roseli Gonçalves de Souza; 1986: Maria Aparecida Gonçalves; 1987: Donanciana Lemos Fernandes e Tânia Astorfi. Nos anos não mencionados não houve formatura.

Justa HomenagemNo dia 23/08/80 a Congregação de Professores, juntamente com a Federação dos Varonis do Presbitério de São Paulo, realizou um culto de gratidão a Deus pela vida do Rev. Armando Pinto de Oliveira, que no dia anterior completara 88 anos de idade e em reconhecimento pelos relevantes serviços prestados ao Seminário durante os 17 anos em que foi seu presidente e por todo o tempo em que o Seminário teve nele e em sua dedicada esposa, Dona Quita, assíduos e abnegados professores. Em sua homenagem foi, na ocasião, afixado o quadro com o seu retrato que ornamenta o hall de entrada de nosso edifício. Proferiu a alocução ao homenageado o Rev. Antônio Gonçalves de Oliveira. Homenagem justa àquele que foi o grande idealizador e incentivador dessa obra vital para a Igreja! O Seminário continua a sua trajetória cumprindo o seu importante papel: preparar obreiros para a seara do Mestre.

Nota: O presente histórico foi redigido pelo Rev João Alves dos Santos em 1998 e vem sendo atualizado pelo Rev Welerson Alves Duarte de 2007 até o presente.


SEMINARIO PRESBITERIANO CONSERVADOR 60 ANOS REAVIVES O DOM DE DEUS QUE HÁ EM TI

MENSAGEM  REV. EDSON  SERAFIM GONÇALVES 
VOCÊ ESTÁ LENDO...

2 Timóteo – Capítulo 1

1 Paulo, apóstolo de Cristo Jesus, pela vontade de Deus, de conformidade com a promessa da vida que está em Cristo Jesus,
2 ao amado filho Timóteo, graça, misericórdia e paz, da parte de Deus Pai e de Cristo Jesus, nosso Senhor.
3 Dou graças a Deus, a quem, desde os meus antepassados, sirvo com consciência pura, porque, sem cessar, me lembro de ti nas minhas orações, noite e dia.



4 Lembrado das tuas lágrimas, estou ansioso por ver-te, para que eu transborde de alegria
5 pela recordação que guardo de tua fé sem fingimento, a mesma que, primeiramente, habitou em tua avó Lóide e em tua mãe Eunice, e estou certo de que também, em ti.
6 Por esta razão, pois, te admoesto que reavives o dom de Deus que há em ti pela imposição das minhas mãos.
7 Porque Deus não nos tem dado espírito de covardia, mas de poder, de amor e de moderação.
8 Não te envergonhes, portanto, do testemunho de nosso Senhor, nem do seu encarcerado, que sou eu; pelo contrário, participa comigo dos sofrimentos, a favor do evangelho, segundo o poder de Deus,
9 que nos salvou e nos chamou com santa vocação; não segundo as nossas obras, mas conforme a sua própria determinação e graça que nos foi dada em Cristo Jesus, antes dos tempos eternos,
10 e manifestada, agora, pelo aparecimento de nosso Salvador Cristo Jesus, o qual não só destruiu a morte, como trouxe à luz a vida e a imortalidade, mediante o evangelho,
11 para o qual eu fui designado pregador, apóstolo e mestre
12 e, por isso, estou sofrendo estas coisas; todavia, não me envergonho, porque sei em quem tenho crido e estou certo de que ele é poderoso para guardar o meu depósito até aquele Dia.
13 Mantém o padrão das sãs palavras que de mim ouviste com fé e com o amor que está em Cristo Jesus.
14 Guarda o bom depósito, mediante o Espírito Santo que habita em nós.
15 Estás ciente de que todos os da Ásia me abandonaram; dentre eles cito Fígelo e Hermógenes.
16 Conceda o Senhor misericórdia à casa de Onesíforo, porque, muitas vezes, me deu ânimo e nunca se envergonhou das minhas algemas;
17 antes, tendo ele chegado a Roma, me procurou solicitamente até me encontrar.
18 O Senhor lhe conceda, naquele Dia, achar misericórdia da parte do Senhor. E tu sabes, melhor do que eu, quantos serviços me prestou ele em Éfeso.


  Esse  foi  o texto  base da  mensagem  do Rev. Edson, pastor da  Igreja Presbiteriana Conservadora  de  Goiania, ele  relata  que  Apostolo Paulo, sentiu  a  ausência de  seu Amigo  Timóteo, outros  relatam que  Timóteo chorou  no momento que  Paulo  foi  aprisionado, e  outros  dizem que  ao ver seu  amigo  na prisão  Timóteo chora. 


Nós  não precisamos, saber o momento  exato de   quando  foi esse  choro, nós  precisamos  saber  de  que esses  dois  tinham  uma amizade sincera, a ponto  de  sentir  as  lágrimas  rolar, pois  eles  eram bem próximos, e  bem apegados.

No  verso de  numero  5, então,  agora  Paulo  lembra a história de  vida  de Timóteo, estou  lembrado  de como era  a vida de  Apostolo, a sua  mãe  e ele sabia  de que  aprendeu as  mesmas  coisas da  sua  família, o que  você aprendeu em casa, a servir a  DEUS, a  guardar a  fé, e servir a  Deus  sem fingimento, sem hipocrisia , não  há  no  comportamento de  Timóteo  nada que  o desabone  e  dizer menos  crédito, a sua  forma  de viver  para  Deus, e esta  forma, o  apóstolo Paulo estabelece, essas  bases  para  exortar  seu amigo, e  ainda no verso de  numero  6, por esta razão  pois, te  admoesto .

  Irmãos, Paulo  mostra a  estrutura  dessa  carta, ele destaca  dois capitulo aqui, o  numero 1  e  o numero 2, advertindo  Timóteo, pelas  lutas dos tempos presentes, no capitulo 3  e 4  Paulo  destaca  as lutas  vindouras, e  para enfrentar  essas  lutas, Timóteo precisava ser  orientado, é  interessante quando  leio o verso numero  6, a  palavra  admoesto  pode ser  traduzida como exorto, ou  rogo a  você, não  simplesmente  chamo a sua  atenção, e deixo  você perdido, ou  dou  uma  bronca  em  você, mas,  não  te oriento direito, de alguma  forma  ele esta  dizendo, exorto  você  mas  aponto  o caminho, pelo  qual você  deve  caminhar, nessa  amanhã, quero  me concentrar  no  verso 6, meus  irmãos, que  reavives, o  dom  de Deus, que  há em ti.

Quero  concentrar  nesse  ponto, nessa mensagem, reavives o dom  de Deus que  há  em ti, primeira  coisa  em que  deva pensar  aqui  é , mas  o que  é REAVIVAR, será  que  Timóteo  havia perdido a  vida, vida  no sentindo  de envolvimento, da  igreja, deixado de  se interessar, não  tinha mais  nenhuma preocupação, a  qual  ele era  pastor  em  Eféso, em  manter  vivo  esse  termo tem haver  com  acender as  chamas, e a  impressão que as  chamas  não estão  apagadas, existe  fogo, brasa, mas, precisa ser  inflamada  aquilo, precisa ser  reavivado, e  é e sta exortação que  Paulo  esta fazendo, a Timóteo.


Anuncio

Seguidores

CAMPANHA PRA VENEZUELA

CAMPANHA  PRA  VENEZUELA
PRECISA DE AJUDA HUMANITÁRIA

As principais matérias do blog